Caldinho é que é bom!

Hoje jantei MacDonalds,

Fui de carro até à loja mais próxima, 5 minutos de casa, fiz o meu pedido e passados 15 minutos estava de volta. Entro em casa, pouso o pacote com a comida, sento-me e está o meu filho aos saltos de alegria. Meto a mão dentro do pacote, agarro num hambúrguer, tiro-o para fora e vou começando a desembrulhá-lo com aquele vontade de dar uma dentada naquele hambúrguer.

Levanto os olhos e vejo o meu filho de 10 meses a olhar fixamente para o que eu tinha na mão. Acabo de tirar o hamburguer do embrulho, amarroto-o, como uma bola, atiro-o ao chão e ai vai ele disparado àquele bola de papel, num tom laranja e branco angelical, agarra-se a ela e nunca mais a larga.

Começo então a pensar que se tivesse trazido um happy meal talvez tivesse sido mais interessante. Agora de cada vez que for ao Mac trago-lhe um happy meal.

Ando aqui eu nisto do penso que penso e eis que penso que quando eu já não quiser mais hambúrgueres vou ter  que começar a levá-lo à loja para ele comer happy meals, e isto, não porque tem fome, mas sim porque quer um brinquedo, que na grande maioria das ocasiões só serve para olhar para ele e que faz parte de alguma série de desenhos animados.

Isto há cada coisa, nestes tempos que correm as crianças aprendem por experiência própria que quando vão àquela loja não é para comer mas sim para ir lá buscar brinquedos. E é assim que eles nos enganam, que criam um mercado, que cria consumidores, e que bons consumidores, que eles simplesmente lhes garantem os consumidores das gerações futuras.

E anda assim este mundo, se calhar é melhor começar a dar-lhes caldo de cebola!

Anúncios